Para muitas pessoas, ter um sorriso bonito e saudável é como um cartão de visita que demonstra confiança, saúde e boa autoestima.

Não é à toa que o sonho de muita gente é ter os dentes mais brancos e bonitos. Mas nem sempre é fácil manter os dentes sempre impecáveis. O consumo de bebidas e alimentos com corantes pode deixar os dentes manchados mesmo os escovando com frequência. Quando a higiene oral é insuficiente, as manchas podem ser ainda mais visíveis.
Felizmente, hoje existem diversos tratamentos para clarear os dentes nos consultórios odontológicos. No entanto, a maioria desses tratamentos é caro, dando margem ao clareamento dental caseiro. Mas será que métodos caseiros de clareamento dental funcionam?

Vamos abordar os mais famosos tipos de clareamento dental caseiro, além de discutir se esse tipo de clareamento é seguro e eficaz para deixar os dentes mais brancos.


Clareamento dental caseiro

O clareamento dental em si não é capaz de deixar os dentes mais brancos e brilhantes, mas ele pode clarear a cor já existente nos dentes, dando a impressão de que eles estão mais brancos.

O clareamento é um tratamento odontológico que deve ser feito, de preferência, por um dentista habilitado. Entretanto, também há como clarear os dentes em casa desde que alguns cuidados sejam tomados para não danificar o esmalte dos dentes.

Dentes amarelados ou manchados

Na maioria dos casos, os dentes ficam amarelados devido ao desenvolvimento de manchas na superfície dura e branca dos dentes, que é chamada de esmalte, ou na parte mais profunda da estrutura dos dentes.

Logo abaixo do esmalte do dente, existe uma substância de cor marrom pálida que se chama dentina. Essa substância pode se tornar mais visível quando o esmalte está desgastado ou mais fino que o normal, dando a impressão de que os dentes estão manchados.
Segundo estudo de 2009 publicado no periódico científico Journal of Zhejiang University Science B, o desgaste do dente é normal e pode ter relação com o envelhecimento e fatores genéticos que não podemos controlar. Porém, a perda excessiva de esmalte dental pode ser agravada pelo uso de substancias ácidas ou pelo consumo de alimentos e bebidas que promovem a erosão ou a coloração dos dentes. Além disso, esses hábitos também podem aumentar o risco de doenças na gengiva.
Apesar de ser natural e esperado que os dentes fiquem mais amarelados com o passar do tempo, existem alguns fatores que podem acelerar o processo e alguns deles podem ser evitados. Exemplos incluem:
Beber café e chá;
Usar antibióticos;
Fumar cigarros;
Sofrer de boca seca, pois a falta de saliva protege menos o esmalte do dente;
Respirar pela boca, o que bloqueia as passagens nasais e reduz a quantidade de saliva;
Ingerir flúor em excesso, principalmente se esse hábito for iniciado na infância;
Alimentar-se mal, já que o consumo de alimentos processados ricos em substâncias ácidas como refrigerantes, por exemplo, pode desgastar o esmalte dos dentes.
Ao mudar alguns hábitos alimentares, já é possível evitar o desgaste precoce do esmalte do dente, mas os danos já causados não são reversíveis apenas com alteração de hábitos. É aí que entram vários tipos de clareamento dental que podem ajudar a suavizar as manchas nos dentes, deixando o sorriso mais branco.

Tipos de clareamento dental caseiro mais famosos

1. Bicarbonato de sódio e peróxido de hidrogênio

O peróxido de hidrogênio é um composto que apresenta propriedades antibacterianas que auxilia na limpeza e no combate aos germes presentes na boca. O peróxido pode ser usado sozinho como um enxaguante bucal ou em conjunto com o bicarbonato de sódio.

Quando usado isoladamente, o peróxido de hidrogênio pode ser misturado em partes iguais com água. Em seguida, basta colocar a mistura na boca e enxaguá-la por cerca de 1 minuto. De acordo com estudos, o peróxido de hidrogênio é capaz de manter o hálito fresco e eliminar bactérias nocivas, atuando assim como um agente bactericida e antisséptico natural que protege a gengiva de doenças como a gengivite e a periodontite.
Para usar o peróxido de hidrogênio com bicarbonato de sódio, é indicado misturar uma pequena quantidade do peróxido com um pouco de bicarbonato a ponto de formar uma pasta.

Segundo um estudo de revisão publicado no periódico Journal of Clinical Dentistry em 2008, cerca de 5 pesquisas realizadas com mais de 270 pessoas mostraram que a escovação com pastas contendo bicarbonato de sódio foi mais eficaz na remoção de placas bacterianas dos dentes.


Para deixar os dentes mais brancos, é indicado escová-los normalmente com o creme dental de costume e, em seguida, aplicar a pasta feita em casa com peróxido de hidrogênio e bicarbonato de sódio por aproximadamente 30 segundos. Depois disso, enxague bem para remover todo o resíduo dos dentes.

É importante não exagerar pois as propriedades abrasivas do bicarbonato de sódio podem remover parte do esmalte do dente, o que causará problemas no futuro próximo.

2. Óleo de coco


Alguns relatos indicam que a aplicação de óleo de coco nos dentes após a escovação usual deixa os dentes mais brancos.

É indicado colocar uma colher de sopa de óleo de coco na boca e enxaguar bem por 5 a 20 minutos, espalhando o óleo pelos dentes o máximo que conseguir. Outra opção é adicionar algumas gotas do óleo de coco na própria escova de dentes e escovar os dentes em seguida. Uma última dica é aplicar um pouco de óleo de coco na ponta de um pano limpo e esfregá-lo sobre os dentes.
Além de clarear os dentes, o óleo de coco apresenta propriedades antimicrobianas que ajudam a proteger os dentes e a gengiva de doenças. De acordo com pesquisa publicada em 2016 na revista científica Journal of Contemporary Dental Practice, essa prática é natural, segura e não apresenta efeitos colaterais, sendo assim uma terapia preventiva para preservar a higiene bucal.


3. Vinagre de maçã

O vinagre de maçã é um poderoso antibiótico natural que também pode ser usado para limpar e remover manchas dos dentes, especialmente aquelas relacionadas com o consumo de café e o hábito de fumar.

A presença de substâncias como o ácido acético, o magnésio, o potássio, os probióticos e diversas enzimas no vinagre de maçã ajuda a matar os germes nocivos e a estimular o crescimento de bactérias saudáveis para a boca. O teor ácido do vinagre auxilia na remoção da placa bacteriana e de outros resíduos eventualmente presos nos dentes. Além disso, o pH ácido do vinagre de maçã ajuda a remover manchar dos dentes e a deixá-los mais claros.

Para a obtenção de bons resultados com este clareamento dental caseiro, é recomendado usar o vinagre de maçã diariamente por pelo menos 1 mês. Porém, é preciso ter cuidado, já que o ácido presente nele pode remover o esmalte dos dentes em caso de uso em excesso.

Você pode aplicar o vinagre de maçã nos dentes com o próprio dedo ou com a escova de dentes. Basta aplicar algumas gotas de vinagre de maçã sobre o dedo ou sobre a escova de dentes e espalhar pelos dentes por cerca de 1 minuto. Depois disso, basta enxaguar a boca e escovar os dentes normalmente com o seu creme dental.

4. Cascas de limão ou de laranja

Acredita-se que as frutas cítricas em geral contêm ácidos benéficos para clarear os dentes. É o caso das cascas de limão ou de laranja que podem ser esfregadas sobre os dentes para deixá-los mais brancos.

Porém, é preciso ter muito cuidado para evitar que o excesso de ácidos agrida o esmalte do dente. Assim, é essencial lavar muito bem a boca depois de esfregar suavemente as cascas das frutas sobre os dentes.

Também há relatos de que usar a parte interior da casca da banana para esfregar os dentes ajuda a clareá-los devido à presença de minerais importantes como o magnésio, o potássio e o manganês.


5. Morangos e outros alimentos saudáveis

Há relatos de que aplicar morangos espremidos sobre os dentes pode deixar os dentes mais brancos.

Esses frutos apresentam compostos antioxidantes benéficos para a saúde dos dentes e consumi-los como parte da dieta também pode ajudar. O ácido málico encontrado no morango ajuda a remover manchas de café, chá e vinho tinto presentes nos dentes.

Além dos morangos, é importante incluir alimentos saudáveis que fortalecem os dentes como, por exemplo:

Ovos;
Alimentos ricos em cálcio como leite ou derivados;
Cogumelos;
Aipo;
Batata-doce;
Abóbora;
Cenoura;
Nozes;
Alimentos ricos em magnésio e potássio como maçãs, peras e vegetais verdes.

6. Carvão ativado

Apesar de não ser totalmente comprovado, o carvão ativado parece ser um ótimo clareador dental caseiro. Por ser um composto cheio de poros que absorvem substâncias nocivas sem causar efeitos colaterais, o carvão ativado pode remover toxinas da boca e dos dentes, ajudando a deixá-los mais claros.

Para isso, basta molhar uma escova de dentes e mergulhá-la em um pouco de carvão ativado em pó para realizar a escovação. Escove mais nas regiões em que os dentes estão manchados ou amarelados. Deixe agir por 1 minuto e depois enxágue muito bem a boca até que a água saia limpa. O ideal é escovar os dentes com carvão ativado cerca de 2 a 3 vezes por semana.

A única contraindicação é para pessoas que apresentam coroas ou obturações de porcelana nos dentes, que podem ficar manchadas pelo carvão.

Dicas

Além de utilizar um clareamento dental caseiro dos mencionados acima (ou mais), algumas dicas que podem ajudar a deixar os dentes brancos incluem:

– Higienizar os dentes logo depois de beber ou comer

Escovar os dentes com um creme dental apropriado depois de se alimentar é a maneira mais eficaz de evitar manchas nos dentes.

Outras mudanças de hábitos como evitar fumar e beber menos café podem ajudar a evitar manchas.


 Fazer limpezas regulares no dentista

 Realizar uma limpeza profissional em um consultório odontológico a cada 3 meses ajuda na prevenção e na remoção de manchas causadas pelo consumo de certas bebidas e alimentos. Além disso, visitar o dentista regularmente é importante para verificar se a saúde bucal está em ordem.

Cuidados

Não há como deixar os dentes brancos para sempre. Mesmo quando feito em um consultório odontológico, o clareamento dos dentes não é permanente. Em geral, os resultados duram até 3 anos ou mais dependendo dos hábitos alimentares de cada pessoa.

Pessoas que fumam ou que ingerem bebidas e alimentos que mancham os dentes como café, alguns tipos de chá e vinho tinto podem precisar de um novo clareamento dental em menos tempo. Dessa forma, cuidar da alimentação e limitar o consumo de alimentos e bebidas que deixam os dentes manchados ajuda a deixar os dentes brancos por mais tempo.

O clareamento dental caseiro é um jeito barato e simples de deixar os dentes mais limpos e brancos, mas é crucial tomar os cuidados necessários e não exagerar na frequência, pois alguns deles podem deixar os dentes sensíveis e acelerar a erosão do esmalte do dente. Para evitar problemas, comece aos poucos com uma pequena quantidade dos produtos mencionados acima e preste bastante atenção a qualquer sinal de sensibilidade e procure um dentista ao sentir qualquer tipo de dor.

Vale lembrar que ao contrário do que muitas pessoas pensam, nem sempre ter dentes brancos é sinônimo de dentes saudáveis. De acordo com especialistas em saúde bucal, a cor dos dentes tem muito pouca relação com a saúde dental. Assim, de nada adianta ter dentes brancos de artistas de cinema, mas não cuidar da higiene bucal da forma adequada. Mais importante do que ter dentes brancos é mantê-los saudáveis e bem higienizados.



Clareamento Dental Caseiro – 6 Mais Famosos Tipos e Cuidados Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/clareamento-dental-caseiro-6-mais-famosos-tipos-e-cuidados/#4CqfmOEbm7dps5dk.99



As escaras são ferimentos que podem afetar qualquer parte do corpo, principalmente em pessoas que estão com a pele fragilizada ou que perderam a mobilidade física por algum motivo.

A escara é muito comum em idosos que têm dificuldade de locomoção e em pessoas que mantêm a mesma posição por muito tempo, seja por causa de uma hospitalização ou devido a algum tipo de doença ou paralisia.

Embora sejam incômodas, as escaras podem ser tratadas e aqui vamos mostrar o que são escaras, como deve ser feito o tratamento e como prevenir a formação de feridas como

O que são escaras?

Conhecidas também como úlcera de pressão, as escaras ocorrem quando há uma pressão ou fricção sobre uma parte do corpo. Nada mais são do que lesões que atingem a pele e seus tecidos subjacentes.

Trata-se de uma condição muito comum em pessoas que não se movimentam com grande facilidade. Pacientes hospitalizados que ficam muito tempo na mesma posição em uma cadeira ou em uma cama, por exemplo, podem colocar pressão extra em apenas uma parte do corpo, o que pode resultar em escaras.

As escaras podem ser observadas em qualquer parte do corpo, mas são mais comuns em regiões ósseas como ao redor dos cotovelos, dos calcanhares, dos joelhos, dos tornozelos e do cóccix.

Elas são feridas que se formam ao redor desses locais e que podem prejudicar outros tecidos quando não tratadas. A maioria delas cicatriza bem com o tratamento adequado, mas algumas nunca cicatrizam por completo e isso tem a ver com o estágio da escara e com os cuidados tomados pelo paciente.

Estágios

Existem 4 estágios de acordo com o grau de gravidade da escara.
Estágio 1: nesse estágio, a pele fica vermelha e quente ao toque e pode haver coceira.
Estágio 2: a escara já começa a doer e podem surgir bolhas ou feridas abertas no local da escara. Além disso, a pele pode ficar descolorida ao redor da ferida.
Estágio 3: a ferida fica ainda mais visível porque os danos na pele atingem os tecidos mais profundos.
Estágio 4: no estagio 4, a pele e os tecidos abaixo já estão gravemente danificados e ossos, músculos e tendões podem ficar visíveis.

Sintomas

Alguns sintomas comuns que indicam o surgimento de uma escara são:

Saída de pus através de fissuras na pele;
Inchaço;
Vermelhidão;
Lesão profunda em que se pode ver o osso ou o músculo;
Alterações na cor ou na textura da pele;
Região da pele que parece mais fria ou mais quente ao toque do que as áreas ao redor.
Pessoas que ficam muito tempo sentadas, como aquelas que usam uma cadeira de rodas, por exemplo, são mais propensas a desenvolver úlceras de pressão em locais como as nádegas, os ombros, a espinha e a parte de trás dos braços ou das pernas.

Já aquelas que ficam muito tempo em uma cama podem desenvolver escaras com facilidade em regiões como as costas, os lados da cabeça, os ombros, os tornozelos, a parte detrás dos joelhos, o cóccix e os quadris.

Causas

Agora que já vimos o que são escaras e entendemos que elas se formam como resultado de uma pressão sobre o corpo que acaba limitando a circulação sanguínea para a pele, podemos entender melhor suas principais causas.

Pessoas que não conseguem mudar de posição correm o risco de desenvolver escaras, pois a pressão sobre um local só no corpo pode interromper a circulação sanguínea, causando danos aos tecidos.

Segundo o Johns Hopkins Medicine, uma úlcera de pressão pode se desenvolver se o suprimento de sangue for interrompido no local por mais de 2 a 3 horas.

Os modos pelos quais uma escara pode surgir são:
Pressão contínua
Uma pressão contínua em um apenas um local do corpo pode prejudicar o fluxo sanguíneo no local, o que danifica os tecidos subjacentes.

A ausência de uma circulação sanguínea adequada pode prejudicar a chegada de oxigênio e de outros nutrientes até os tecidos da pele já que é o sangue que transporta essas substâncias. Assim, a falta de nutrientes danifica a pele e os tecidos ao redor, formando as escaras.

Cisalhamento

Em alguns casos, a pele pode se mover para um lado enquanto o osso subjacente se move para o lado oposto, causando o risco de cisalhamento. Isso pode fazer com que as paredes celulares e os vasos sanguíneos se estiquem e se rompam, causando uma lesão na pele.

Um exemplo disso é quando a cama em que o paciente está é levemente inclinada, o que pode fazer com que a pessoa fique deslizando para baixo. Nesse deslizamento, o cóccix se move para baixo, enquanto a pele sobre o osso nem sempre acompanha o movimento, podendo se manter no mesmo lugar ou puxar na direção oposta, o que aumenta o risco de escaras.


Fricção ou atrito

A fricção na pele de algumas pessoas que apresentam a pele mais fina e mais sensível aliada a uma má circulação podem ser suficientes para surgir uma escara.

Geralmente, o atrito se dá quando a pele esfrega contra as roupas de cama ou até mesmo contra a própria vestimenta do paciente. Se a pele estiver úmida, o risco de lesões como as escaras é ainda maior.

Fatores de risco

As escaras são mais comuns entre aqueles que estão imobilizados por causa de uma lesão ou doença ou em pessoas que têm lesões na medula espinhal.

Alguns outros fatores que podem aumentar o risco de uma escara incluem:

Ter uma dieta inadequada pobre em proteínas, zinco e vitamina C;
Desidratação, que deixa pele sensível e com maior probabilidade de ser danificada;
Ser idoso, já que em uma idade mais avançada a pele fica mais fina e mais sensível do que antes;
Circulação sanguínea ruim por causa de diabetes, fumo ou doenças vasculares;
Redução da percepção da dor, como em casos de pessoas diabéticas ou com problemas neuropáticos ou na espinha;
Incontinência urinária ou fecal pode deixar a pele mais úmida em alguns locais, o que aumenta o risco de danos;
IMC abaixo ou acima do normal aumenta o risco de escaras, já que uma pessoa com baixo IMC tem menos tecidos protegendo os ossos, enquanto que obesos podem desenvolver feridas em locais incomuns.

Complicações

Se o tratamento da escara não for feito, as escaras podem causar complicações de saúde como:

Celulite bacteriana: trata-se de uma doença causada por uma infecção bacteriana grave na pele que pode se espalhar para outras partes do corpo. Pessoas com escaras têm um risco maior de contrair infecções devido as feridas abertas na pele;
Sepse: na sepse, as bactérias podem entrar através da pele e infectar a corrente sanguínea, que pode causar problemas muito graves como o choque e a falência de órgãos;
Infecções ósseas ou nas juntas: por meio de uma escara, podem surgir infecções ósseas e articulares que podem se espalhar, danificando os tecidos e as cartilagens e diminuindo a função dos membros e das articulações;
Câncer: feridas que não são tratadas podem evoluir para um tipo de carcinoma de células escamosas.

Como tratar

Quando identificamos e entendemos o que são escaras logo no início, o tratamento é muito mais fácil e o risco de complicações é reduzido.

As feridas mais leves são mais fáceis de tratar e geralmente são curadas em algumas semanas após o início do tratamento. É o caso das escaras no estágio 2. Feridas mais graves podem demorar vários meses até a total cicatrização.

O tratamento inicial de uma escara consiste nas seguintes etapas:

Aliviar a pressão: o primeiro passo é identificar a causa e eliminar a pressão sobre o local.
Limpar a ferida: a escara deve ser limpa com uma solução de água e sabão. As feridas abertas devem ser lavadas suavemente com uma solução salina todas as vezes que o curativo for trocado.
Remover as células mortas: as escaras devem ser desbridadas para que as células mortas possam ser removidas, dando lugar a novas células que vão surgir durante a cicatrização. O desbridamento pode ser feito através de uma lavagem suave ou por meio da remoção do tecido danificado.
Colocar curativos: é importante proteger a escara durante a cicatrização para prevenir infecções e acelerar a cicatrização.
Normalmente, as escaras podem ser tratadas em casa pelo próprio paciente. Em outros casos, pode ser necessário visitar um médico para que ele limpe a ferida e aplique o curativo.
Se a escara infeccionar, o tratamento pode ser mais complicado já que além da escara será preciso tratar a infecção.

Medicamentos

Quando o indivíduo sente muita dor, pode ser recomendado o uso de anti-inflamatórios não esteroides como o naproxeno sódico ou o ibuprofeno. Analgésicos de uso tópico também podem ser usados diretamente sobre a ferida.

Em casos de infecção, antibióticos de uso tópico ou oral podem ser prescritos por um médico.

Outras abordagens

Em um desses procedimentos feitos por uma equipe médica, um tubo de sucção é conectado à escara. Esse tubo que funciona por meio de um sistema à vácuo suga a umidade presente na escara para acelerar o tempo de cicatrização e diminuir o risco de infecção. Com essa técnica, as escaras mais graves tendem a ser curadas em cerca de 6 semanas.

A cirurgia pode ser necessária se a escara for muito grave. Nesse caso, o objetivo do procedimento é limpar a ferida, removendo todo o fluido em excesso e os tecidos mortos. Depois disso, é inserido um pedaço de pele, músculo ou outro tecido do corpo do próprio paciente para cobrir a ferida e proteger a estrutura óssea afetada de mais danos.

Como Prevenir

A prevenção sempre é mais fácil do que o tratamento. Algumas dicas de prevenção incluem:

Auxiliando a pessoa que está com dificuldades de se locomover por si só:

Mudar a pessoa de posição de pacientes hospitalizados ou até mesmo idosos com dificuldade de locomoção de tempos em tempos ajuda a aliviar a pressão apenas em um lado do corpo, prevenindo as escaras – uma pessoa que usa cadeira de rodas, por exemplo, deve ser trocado de posição a cada 15 minutos enquanto que um paciente de cama deve ser movimentado pelo menos a cada 2 horas;
Se o paciente tiver força para levantar a parte superior do corpo em uma cadeira de rodas, é indicado que ele faça força com os braços para levantar o corpo algumas vezes por dia;
O uso de almofadas e colchões especiais ajuda a aliviar a pressão e garantir uma boa posição do corpo.


Cuidando da pele:

Manter a pele saudável, limpa e seca. Isso evita o acúmulo de sujeira e umidade na pele;
Proteger a pele nas áreas expostas ao atrito com talco. Também é importante trocar a roupa do paciente e da cama com frequência e evitar o uso de tecidos que possam irritar a pele;
Verificar o estado da pele diariamente para buscar sinais de alerta que podem indicar o surgimento de uma escara. Quanto mais cedo o tratamento for iniciado, mais rápida é a cicatrização.

Outros cuidados:

Parar de fumar;
Ter uma boa alimentação rica em nutrientes que ajudam a acelerar a cicatrização e a melhorar a saúde em geral;
Dormir bem é importante para que o corpo tenha tempo de descansar, promovendo a recuperação necessária;
Praticar exercícios físicos que melhoram a circulação sanguínea;
Consultar um fisioterapeuta que irá indicar posições e movimentos que devem ser adotados para evitar as úlceras de pressão.
Além de seguir as dicas mencionadas nesse artigo, movimente-se o máximo que puder e peça orientações específicas para o seu médico para evitar úlceras de pressão e para tratá-las quando elas surgirem, evitando complicações e desconfortos.


O Que São Escaras – Como Tratar e Como Prevenir Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/o-que-sa












Querendo ou não, a vaidade nos acompanha diariamente. Seja no ambiente de trabalho, no ambiente de estudo ou até mesmo em casa, estar bem consigo mesmo tem uma grande relação com a aparência. Cabelos bonitos e saudáveis não são apenas uma questão estética, já que eles também protegem nosso couro cabeludo da radiação solar, por exemplo. Vale lembrar ainda que fios fracos e que caem muito podem ter relação com problemas de saúde e efeitos colaterais de certos medicamentos.

Embora a perda de cabelo seja mais comumente associada aos homens, as mulheres também sofrem com esse problema. Assim, muitas pessoas buscam por soluções que corrijam ou ao menos amenizem a queda de cabelo. Vamos mostrar os remédios para queda de cabelo mais usados abaixo.

Principais causas da queda de cabelo

Hereditariedade ou histórico familiar;
Mudanças hormonais;
Condições médicas;
Medicamentos;
Deficiência de vitaminas;
Menopausa.


Remédios para queda de cabelo

Independentemente da causa, existem formas de tratar a queda de cabelo. Em seguida, estão os remédios para calvície e queda mais populares a fim reduzir ou eliminar esse problema tão desagradável.

1. Finasterida (Propecia)

Finasterida é o nome genérico para os medicamentos de marca Proscar e Propecia. A finasterida foi originalmente desenvolvida pela empresa farmacêutica Merck como uma droga para tratar as próstatas alargadas, um problema de câncer benigno da próstata. Porém, os pesquisadores observaram um efeito colateral interessante: o crescimento do cabelo.

Desde então, a finasterida pode tem sido também usada como um dos principais remédios para calvície masculina. Tal medicamento promove crescimento do cabelo na região da coroa da cabeça e ajuda a prevenir a queda do mesmo.

Trata-se se um medicamento inibidor de 5-alfa-redutase, uma enzima responsável por converter a testosterona em dihidrotestosterona (DHT). Níveis altos de DHT no couro cabeludo podem diminuir o folículo capilar, levando à calvície. Ao tomar uma dose de 1 mg de finasterida, os níveis de DHT podem ser reduzidos em até 60%, o que diminui a perda de cabelo em até 86% dos homens que tomam o remédio.

2. Minoxidil (Rogaine)

Minoxidil foi o primeiro medicamento aprovado pela FDA (Food and Drug Administration – Órgão que regula os alimentos e os fármacos nos EUA) para o tratamento da calvície masculina. Durante muitos anos, o minoxidil, em forma de pílula (Loniten), foi amplamente utilizado para tratar a pressão arterial elevada, e assim como a finasterida, os pesquisadores descobriram um efeito colateral muito interessante do medicamento.

As pessoas que tomavam a medicação notaram crescimento de cabelo em locais inesperados como nas bochechas e na parte de trás das mãos.

A partir dessa observação, foi criado o minoxidil em solução líquida tópica para ser aplicado diretamente na cabeça para que crescesse cabelo. Porém, esse remédio não provoca nenhuma alteração hormonal e seus resultados são temporários, e uma vez que o uso é interrompido, o cabelo volta a cair.


3. Cortisona

Este também é um dos remédios para queda de cabelo mais potentes e que mostra resultados muito efetivos quando tomado sob a forma de injeções diretamente no couro cabeludo. Ele também está disponível na forma de pílulas e pomadas que podem ser aplicadas topicamente. As pílulas parecem ser mais fortes do que as outras formas disponíveis.

Geralmente, esse tratamento que usa corticoides só é indicado para pessoas com alopecia areata, caracterizada pela queda repentina e irregular de cabelo, inclusive em outras partes do corpo. Pode, portanto, ser um remédio para queda de cabelo feminino e não apenas para casos de calvície masculina, na qual a queda de cabelo é regular.

4. Avicis

Usado para tratar alopécia androgenética, ou seja, casos de calvície, Avicis é uma solução de uso tópico que funciona a partir do mesmo princípio que a finasterida. Ele age ao inibir a enzima 5-alfa-redutase que converte a testosterona em DHT, levando à diminuição dos níveis de DHT no couro cabelo e diminuindo também a queda de cabelo.


5. Pantogar


Pantogar é uma combinação de vitaminas que melhoram a qualidade do cabelo. Desta forma, não se trata de um remédio para corrigir a queda de cabelo, mas que pode fazer com que o cabelo cresça mais forte.

Composto por aminoácidos, queratina, cistina e leveduras, fornece um suplemento vitamínico para os cabelos. Pode ser usado em casos que não envolve alopecia, pois também funciona como um remédio para queda de cabelo por estresse, por exemplo.


6. Follixin

Follixin é um suplemento composto principalmente por biotina que evita a queda de cabelo. Ele age melhorando fluxo sanguíneo para o couro cabeludo e fortalecendo os folículos, o que reduz a queda de cabelo e promove nutrição dos fios.

7. Óleo essencial de alecrim

O alecrim é usado para promover o crescimento do cabelo. O óleo de alecrim deve ser aplicado diretamente no couro cabeludo ajudando a melhorar o fluxo sanguíneo, o que causa o crescimento do cabelo.

Trata-se de um dos principais óleos essenciais quando se trata de aumentar a espessura e o crescimento do cabelo. Acredita-se que o óleo de alecrim é capaz de aumentar o metabolismo celular que estimula o crescimento do cabelo. Uma pesquisa publicada em 2015 mostra ainda que o óleo de alecrim parece funcionar, assim como o medicamento minoxidil, como um tratamento convencional de perda de cabelo tópico.

8. Kalium Carbonicum

Kalium carbonicum é um medicamento usado em homeopatia que é composto por carbonato de potássio. Ele é altamente benéfico para evitar o desgaste e os cabelos secos. Este remédio, no entanto, deve ser consumido somente ao consultar um homeopata para prevenir possíveis interações medicamentosas.

9. Silicea

Outro medicamento homeopático para promover o bom crescimento do cabelo é a silicea. Ela é derivada do mineral arenito e de tecidos humanos e altamente eficaz na nutrição dos folículos capilares. Esta substância encontra-se disponível em forma líquida concentrada e em grânulos. Também é conhecida e encontrada como “sais celulares homeopáticos”.


10. Vitaminas de nioxina

Este é um medicamento puramente baseado na combinação de vitaminas e minerais e atua como suplemento vitamínico para as raízes já existentes do cabelo, e isso faz com que o cabelo cresça mais rápido. É prontamente disponível sob a forma de shampoos, condicionadores e loções capilares. Essas vitaminas são conhecidas por promover o crescimento de cabelo onde já existe, sendo menos eficaz em casos de alopecia.

11. Difenilciclopropenona (DPCP)

Este medicamento é conhecido por ser muito eficaz na aplicação tópica diretamente no couro cabeludo. Está disponível em forma líquida e deve ser aplicado uma vez por semana para fortalecer as raízes do cabelo e leva alguns dias ou semanas para começar a fazer efeito.

12. Chá de sálvia

Esta erva é conhecida par aumentar o crescimento do cabelo e também para diminuir a queda excessiva de cabelo. O chá de sálvia deve ser preparado, resfriado e aplicado diretamente sobre o couro cabeludo. Também é possível tomar o chá para obtenção dos nutrientes, porém apresenta um gosto muito amargo e pode ser de difícil ingestão.


Remédio caseiro para queda de cabelo por química

Quando o cabelo é submetido a muitos processos químicos como tintura e progressivas, é normal que ele fique desgastado e mais fraco, o que pode levar à queda. Dessa forma, a palavra chave é hidratação.

É importantíssimo hidratar o cabelo para que ele recupere as forças degradadas pelos procedimentos de beleza e recupere sua cor e brilho. A seguir, sugerimos algumas opções caseiras de remédio para queda de cabelo causada por processos químicos.

1.Pó de proteína do caldo do osso: Este suplemento é encontrado na forma de uma proteína em pó e é muito 

rico em proteínas, colágeno, gelatina, glucosamina, condroitina e minerais. Tais nutrientes ajudam a promover o crescimento saudável do cabelo e mantê-lo saudável. Além do suplemento, é possível preparar o caldo do osso através de restos de ossos de animais. Dessa forma, sugere-se usar os restos de osso e refogá-los com água e temperos da sua preferência até obter um caldo. Uma concha do caldo é suficiente para obter os nutrientes necessários. No caso do suplemento, é preciso observar as informações no rótulo.

2.Saw palmetto: Uma opção caseira para prevenir a queda de cabelo é utilizar o saw palmetto como tempero 

em comidas já que ele é um inibidor natural de DHT, sendo então uma versão natural de remédios para queda de cabelo como a finasterida, por exemplo. A dose recomendada é de 320 mg de saw palmetto por dia.

3.Óleo de semente de abóbora: Uma porção de 8 gramas ou aproximadamente 1 colher de sopa por dia

também é capaz de inibir a formação de DHT, além de conter ácidos graxos que ajudam a melhorar a saúde de cabelos com fios mais grossos.


4.Óleo de peixe: Uma dose de até 1 g por dia pode ajudar a reduzir processos inflamatórios e nutrir o cabelo muito fino e quebradiço, engrossando o fio


5.Aloe vera: Hidratar o cabelo com aloe vera é uma ótima maneira de salvar o cabelo do dano químico. É recomendada uma porção de ½ xícara de aloe vera por dia para lavar o cabelo.



Remédio para queda de cabelo por estresse

1.Ashwagandha: Uma dose de até 500 mg de ashwagandha ao dia ajudam o corpo a se adaptar e lidar com eventos estressantes, pois equilibra os hormônios e ajuda a reduzir os níveis de cortisol (o hormônio do estresse), o que influencia, portanto, no estímulo do crescimento saudável do cabelo.

2.Rhodiola rosea: A rhodiola rosea ou raiz de ouro também é uma erva que evita o estresse e estimula o crescimento do cabelo. É possível tomar uma porção de até 500 miligramas por dia.


3.Vitaminas do complexo B: As vitaminas do complexo B ajudam no gerenciamento do estresse. Em especial, a biotina ou vitamina B7 ajuda a engrossar o cabelo enquanto que a vitamina B5 ou ácido pantotênico dá suporte as glândulas adrenais, fortalecendo o cabelo. A suplementação pode ser feita com um comprimido por dia.

 4.Zinco: Um dos sinais da deficiência de zinco é a perda de cabelo. Desta forma, é possível tomar até 8 mg por dia de zinco (se você for mulher) e até 11 mg (se for homem). Esse mineral melhora o sistema imunológico e ajuda nas funções intestinais também.

5.Lavanda, tomilho, cedro, sálvia e hortelã: Uma mistura desses componentes pode ajudar a aumentar a circulação sanguínea no couro cabeludo. Uma receita caseira para estimular o crescimento do cabelo é combinar de três a quatro gotas de menta com alecrim e sálvia e adicionar uma colher de sopa de azeite ou óleo de coco e massagear a região capilar suavemente de uma a duas vezes por dia.

Nutrição balanceada

Infelizmente, muitas pessoas não têm uma dieta adequada e a falta de nutrientes e minerais pode causar queda de cabelo.

Quantidades adequadas de proteína são importantes para fortalecer o cabelo e promover o crescimento saudável. A quantidade diária recomendada é cerca de duas a três porções de carne ou uma combinação de quatro a cinco porções de produtos lácteos e feijões.

Também é importante incluir alimentos saudáveis como nozes e sementes, ovos e peixes nas dietas, que são fontes importantes de ácidos graxos do tipo ômega-3, que ajudam a diminuir a inflamação e deixar o couro cabeludo mais saudável. Isso tudo sem esquecer de adicionar frutas e vegetais à dieta.


Ferro: a anemia pode causar perda de cabelo, mas os suplementos de ferro só são recomendados se você comprovou a deficiência por meio de um exame de sangue.

Sementes: sementes de abóbora são um dos principais alimentos com alto teor de zinco, o que é necessário para a saúde saudável do cabelo. As sementes de chia, linhaça e cânhamo também são ricas em fibras e gorduras saudáveis ​​que podem ajudar no crescimento do cabelo.

Peixe selvagem: peixes como o salmão são ricos em e o espessamento do cabelo.

Chá verde: ajuda a promover a desintoxicação e contém antioxidantes que promovem o crescimento do cabelo. Também pode diminuir a conversão de testosterona em DHT, diminuindo a queda capilar.

Cafeína: quando em doses baixas e com moderação, a cafeína estimula os cabelos e os ajuda a crescer mais rapidamente, diminuindo os efeitos da DHT.

Alimentos que devemos evitar para prevenir a queda de cabelo

Gorduras trans: Gorduras trans são pouco saudáveis e aumentam processos inflamatórios no organismo além de aumentar a produção de DHT, que pode levar à queda de cabelo. Assim, é melhor evitar óleos hidrogenados como o óleo de milho e o óleo de soja.

Açúcar: O açúcar desempenha um papel em causar desequilíbrios hormonais, contribui para a resistência à insulina, aumenta os níveis DHT e causa inflamação, o que pode levar à perda de cabelo.
Alimentos processados: Alimentos que são altamente processados ​​são frequentemente carregados com gorduras não saudáveis como as gorduras trans, açúcar e sódio, e por esse motivo contém poucos nutrientes e prejudicam o crescimento saudável do cabelo.

Álcool: A ingestão excessiva de álcool pode aumentar a inflamação e causar toxicidade hepática, levando a perda de cabelo.


Cafeína: Em altas concentrações, a cafeína no organismo pode causar desidratação, desequilíbrios hormonais e até produção elevada de DHT.

Cuidados e dicas

Gerenciar o estresse: Perder o cabelo pode ser estressante. E o estresse (físico e emocional) também pode ser a causa da perda de cabelo. Para evitar esse ciclo vicioso, o ideal é que você gerencie o estresse da melhor maneira possível e fuja de situações muito estressantes.
Nem toda queda é prejudicial: Nem toda queda de cabelo é sinal de perigo. Existem períodos da vida em que é normal ocorrer perda de cabelo, como na gravidez ou na menopausa, por exemplo.
Livre-se das caspas: A presença de caspa pode prejudicar o crescimento dos cabelos. Assim, livrando-se dela, pode ocorrer um efeito positivo no crescimento e prevenção da queda dos cabelos.

Precauções

Antes de correr para comprar qualquer desses remédios para queda de cabelo, recomendamos que sempre consulte seu profissional de saúde.

Tratamento cirúrgico

Também é possível restaurar o cabelo cirurgicamente, porém é importante saber que você não terá cabelos perfeitos instantaneamente. É muito comum que os cabelos caiam dos enxertos logo após o transplante e demorarem um certo tempo até a regeneração. Além disso, possíveis efeitos colaterais e complicações da substituição do cabelo ou cirurgia de transplante incluem dor, dormência temporária na região, hemorragia, infecção, inchaço da cabeça e rosto, mau crescimento de enxertos e aparência não natural do cabelo transplantado.

Efeitos colaterais

Quando se trata de tratamentos convencionais para perda de cabelo, há muitos possíveis efeitos colaterais. Certifique-se de verificá-los cuidadosamente.

Os efeitos colaterais do medicamento minoxidil, por exemplo, podem incluir pelos faciais ou corporais indesejados, tonturas, batimentos cardíacos rápidos e irregulares, desmaios, dor torácica, inchaço de mãos ou pés, ganho de peso incomum, cansaço e dificuldade para respirar.

Os efeitos colaterais da finasterida podem incluir impotência sexual, perda de interesse no sexo, dificuldade em orgasmo, ejaculação anormal, inchaço nas mãos ou nos pés, moleza, dor de cabeça, corrimento nasal e erupção cutânea.

Além disso, nunca combine tratamentos naturais e convencionais (como minoxidil com óleos essenciais, por exemplo) pois podem ocorrer efeitos colaterais indesejados.

Aviso para grávidas

Se você está grávida ou amamentando, consulte seu médico antes de usar remédios convencionais ou naturais de perda de cabelo pois eles podem conter substâncias prejudiciais ao feto ou bebê. Além disso, é preciso ter certeza que a opção de tratamento para os cabelos não interaja com nenhum medicamento ou suplemento que esteja tomando.

Verifique com seu médico as causas mais prováveis do seu problema de queda de cabelo e se o uso dos remédios é realmente necessário. Também é importante lembrar que as receitas caseiras ou remédios indicados nesse artigo não podem sozinhos criar cabelos extremamente bonitos e saudáveis. É preciso combinar qualquer que seja o tratamento com uma dieta saudável para que o cabelo obtenha os nutrientes adequados.



12 Remédios para Queda de Cabelo Mais Famosos Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/12-remedios-para-queda-de-cabelo-mais-famosos/#RHugKh32mSIkerEr.99


























O silício é um mineral que pode ser utilizado como um anticoagulante na indústria de alimentos, além de aparecer na produção de cerâmicas e ferros fundidos.

No corpo humano, ele já foi associado à restauração do equilíbrio entre cálcio e magnésio, à estabilização de estruturas como tecidos corporais, membranas e paredes arteriais, à facilitação da absorção de cálcio por parte do organismo e a auxílio à produção de colágeno.

Vale lembrar que o colágeno é a proteína mais abundante do corpo humano, que está presente nos ossos, nos músculos, na pele e nos tendões. O colágeno também é responsável por manter a pele macia e sem linhas de expressão.

A proteína também é responsável por manter as células do organismo fortes e unidas, preservando a integridade e a flexibilidade da pele, das unhas e dos cabelos.

Ao longo do tempo, conforme envelhecemos, o nosso organismo perde a capacidade de absorver o silício dos alimentos.
O resultado da ausência do mineral é o enfraquecimento da matriz extracelular da pele, região onde justamente nascem o colágeno, a elastina e os fios de cabelos, fazendo com que eles não sejam produzidos da mesma forma como antes. Com isso, os cabelos podem ficar mas finos e cair com maior facilidade do couro cabeludo.

A elastina é uma proteína que fica na matriz extracelular ao redor da pele, de órgãos e de tecidos conjuntivos, fornecendo força e elasticidade a eles.

O que é o silício orgânico?

O silício orgânico biodisponível é a versão do mineral que passa por um processo de estabilização em colágeno hidrolisado, o que faz com que ele possa ser utilizado com maior eficiência pelo corpo do que o silício que é encontrado nos alimentos.Em artigo publicado, a dermatologista Aleksana Viana escreveu que o silício orgânico é considerado um agente natural antienvelhecimento para as paredes das artérias, as peles e os cabelos.
A substância auxilia o rejuvenescimento porque proporciona uma ação regeneradora e restruturante para a pele. Além disso, a dermatologista explicou que o silício orgânico é um remineralizador de tecidos duros como os ossos e contribui com o reforço das células do sistema imunitário.

A recomendação é que as cápsulas de silício orgânico sejam tomadas depois dos 30 anos de idade, quando começam a aparecer os sinais de flacidez na pele.

Porém, o indicado é que isso ocorra especialmente a partir dos 50 anos de idade, período no qual o corpo sofre um decréscimo na produção de colágeno, passando a produzir somente 35% do colágeno que é requerido pelo organismo.


O silício orgânico para pele e cabelos 

A internet está cheia de relatos a respeito dos efeitos positivos do silício em relação aos cabelos e as unhas. Mas será que ele realmente funciona neste sentido?

Um estudo da Universidade de São Paulo (USP), que foi divulgado no Journal of Investigative Dermatology (Jornal de Dermatologia Investigativa, tradução livre), analisou os efeitos do suplemento de silício orgânico nos cabelos de 34 mulheres com idade entre 17 e 57 anos.

Durante o experimento, elas responderam a um questionário sobre a qualidade de seus fios antes e depois do tratamento e os pesquisadores analisaram a habilidade dos cabelos em manter a integridade das suas proteínas mesmo em condições fisicamente e quimicamente estressantes e mediram o crescimento dos fios mensalmente.

A conclusão à qual os pesquisadores chegaram foi que: 83% das participantes acharam que a qualidade dos cabelos havia melhorado e ocorreu uma diminuição da perda de proteínas capilares, 79% das mulheres tiverem aceleração do crescimento dos fios e dessas 79% o aumento médio da velocidade do crescimento dos cabelos foi de 37%.Entretanto, de acordo com a publicação, esses resultados não podem ser considerados definitivos e são necessárias mais pesquisas para podermos afirmar que o silício orgânico biodisponível realmente traz esses benefícios para os cabelos.

De acordo com a PhD e autora do livro Revitalize Your Hormones (Revitalize os Seus Hormônios, tradução livre), Theresa Dale, o silício trabalha ao lado do enxofre para dar à pele e aos cabelos uma aparência e saudável.

O suplemento de silício orgânico com colágeno pode ser indicado para combater os sinais de envelhecimento da pele como rugas e linhas de expressão.

No mesmo sentido, a autora do livro Every Woman’s Guide to Beautiful Hair at Any Age (O Guia de Toda Mulher Para um Cabelo Bonito em Qualquer Idade, tradução livre), Lisa Akbari, disse que o silício também pode ajudar a evitar que os cabelos caiam.

Em seu artigo, a dermatologista Aleksana Viana disse que graças ao fato do silício orgânico ser indispensável para a síntese das fibras de colágeno e de elastina, a substância pode conferir elasticidade para a pele e para os cabelos.
Por outro lado, não existem evidências suficientes para determinar que o silício seja útil para casos de perda de cabelo.

Portanto, para se certificar de que você realmente receberá esses benefícios ao consumir o suplemento de silício orgânico, você deve antes consultar-se com um dermatologista.

Ele é o profissional qualificado para avaliar se o seu problema de pele ou cabelos realmente está associado a uma falta de silício ou colágeno, se o silício orgânico pode ser a solução para o seu caso e indicar a dosagem adequada do produto para você.

Aainda que a deficiência de silício possa estar associada à queda de cabelos, não trata-se de uma causa comum. Para ter certeza do que se trata, é preciso realizar exames de sangues que devem ser solicitados pelo médico para que ele possa avaliar como andam os níveis da substância no organismo e prescrever o suplemento, caso isso seja realmente necessário
Caso compre e use o suplemento por conta própria, você corre o risco de perder tempo e dinheiro com um suplemento que poderá não resolver o seu problema. E mesmo se for uma situação que o silício orgânico possa ajudar, ao fazer isso você corre o risco de utilizar uma dosagem inadequada do produto e não obter efeitos positivos.

Lembre ainda que diferentes pessoas têm diferentes organismos com diferentes condições e não é somente porque o silício orgânico auxiliou o problema de pele e/ou cabelo de um conhecido que o produto será necessariamente bom para você.

Contraindicação e efeitos colaterais do silício orgânico 

Não existem evidências suficientes para saber se o suplemento pode prejudicar a saúde. Entretanto, o fato dele ter a sua comercialização regulamentada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) serve como indício de que ele passou nos testes de segurança da organização.

Ainda assim, para garantir a segurança no uso do silício orgânico e evitar riscos, recomenda-se procurar um médico antes de começar a utilizá-lo. Isso é necessário para todas as pessoas, especialmente para crianças, adolescentes, idosos, mulheres que estejam grávidas ou amamentando e pessoas que sofram com alguma doença ou condição de saúde.

Durante a conversa com o médico, informe a ele caso esteja utilizando algum tipo de medicamento, suplemento ou produto natural para que ele verifique se não existem riscos de interação entre o silício orgânico e a substância em questão.

E caso experimente algum tipo de efeito colaterais ao utilizar o produto, procure rapidamente a ajuda médica e informe ao fabricante do suplemento. 

Onde comprar o silício orgânico?

O produto pode ser encontrado em lojas de produtos naturais, farmácias, drogarias e nas versões virtuais de estabelecimentos como esses.



Silício Orgânico para Pele e Cabelos – Para Que Serve, O Que é, Contraindicação e Dicas Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/silicio-organico-para-pele-e-cabelos-para-que-serve-o-que-e-contraindicacao-e-dicas/#HDwL1aaqzorzIjHI.99










A babosa é usada há muito tempo principalmente na Índia e na China para tratar diversos problemas de saúde como infecções, doenças de pele e problemas gastrointestinais como constipação e cólicas. Além dos benefícios que a babosa oferece para a saúde em geral, ela pode ser usada também para ajudar a nutrir o cabelo e a pele.

A produção de extratos de Aloe vera, como também é chamada, é uma das principais atividades da botânica para fins industriais. Hoje, a babosa já é utilizada também na composição de diversos produtos farmacêuticos e cosméticos.
Vamos conferir os benefícios que o uso da babosa no cabelo promove e dicas de como usar e aproveitar ao máximo o potencial desse ingrediente natural sem efeitos colaterais indesejados.

Babosa

A babosa, também conhecida como Aloe vera, é usada na medicina tradicional indiana há muito tempo para tratar as condições mais variadas como constipação, problemas na pele, infestação de vermes, infecções e cólicas. Na medicina chinesa, ela também é usada para tratar de forma natural infecções fúngicas. Não é por acaso que hoje em dia muitos cosméticos e produtos farmacêuticos já contém Aloe vera em sua composição.

A Aloe vera é uma das espécies do gênero Aloe. O nome científico dessa planta é Aloe barbadensis miller e pertence à família das Liliaceae. Trata-se de uma planta suculenta que é verde e contém folhas em formato triangular e carnudas. A babosa como conhecemos hoje é uma substância gelatinosa extraída de dentro dessas folhas e é considerada a espécie do gênero Aloe mais biologicamente ativa.

Para que serve

A babosa tem diversas propriedades medicinais que são usadas para o tratamento e alívio de diversos sintomas de doenças inflamatórias, úlceras estomacais, doenças intestinais, osteoartrite, diabetes e asma.

Quanto aos benefícios estéticos, a babosa apresenta um alto teor de nutrientes que mantêm os cabelos e pele saudáveis. Muitas pessoas usam a babosa na pele para tratar problemas como queimaduras, psoríase e herpes labial, além de usar o produto para nutrir e dar vida aos cabelos.

Vamos aprender um pouco sobre os nutrientes presentes na folha de babosa e o que eles podem fazer pela saúde dos nossos fios.

Nutrientes da babosa

Cientistas já foram capazes de identificar mais de 75 ingredientes ativos presentes na babosa. Esses ingredientes incluem vitaminas, minerais, aminoácidos, enzimas e diversos outros compostos benéficos para a saúde.

Antioxidantes

A babosa contém vitaminas A, C e E que são conhecidas principalmente devido as suas propriedades antioxidantes. Além disso, ela também contém vitamina B12, ácido fólico e colina. Todos esses componentes são substâncias antioxidantes que atuam neutralizando os radicais livres presentes no organismo e evitando danos celulares e o desenvolvimento de doenças.


Enzimas

O Aloe vera contém oito enzimas que incluem a lipase, a fosfatase alcalina, a amilase, a bradicinase, a carboxipeptidase, a catalase, a celulase, a lipase e a peroxidase. A bradicinase atua na redução de processos inflamatórios quando aplicada diretamente sobre a pele, enquanto que as demais ajudam no metabolismo de carboidratos e gorduras.

Minerais

Minerais como cálcio, manganês, cobre, selênio, cromo, potássio, magnésio, sódio e zinco são encontrados na babosa. Eles são essenciais para o funcionamento adequados de diversas enzimas importante para o nosso metabolismo.



Antraquinonas

Esses compostos atuam como analgésicos, antibacterianos e antivirais, ajudando a combater infecções e doenças.


Ácidos graxos

A babosa contém ácidos graxos como o colesterol, o campesterol, o beta-sisosterol e o lupeol. Todos eles trazem benefícios para a saúde devido às suas propriedades antissépticas, anti-inflamatórias e analgésicas.
A presença de hormônios como as auxinas e as giberelinas ajudam em processos de cicatrização além de apresentar efeito anti-inflamatório.

Carboidratos

A presença de açúcares monossacarídeos como a glicose e a frutose e de polissacarídeos é benéfica devido as suas propriedades anti-inflamatórias.

babosa no cabelo é bom

Aloe vera é um ótimo tratamento natural para cabelos ressecados ou até mesmo para quem quer uma hidratação profunda nos fios. Além disso, o uso de babosa é bom para o alívio de coceiras no couro cabeludo e para nutrir o mesmo.

A presença das vitaminas e minerais destacados acima tornam a babosa um ingrediente hidratante que deixa o cabelo forte e saudável. Além disso, propriedades bactericidas e fungicidas da babosa podem ajudar a tratar irritações e infecções como a caspa e a presença de enzimas pode facilitar a remoção de células mortas no couro cabeludo, além de promover a regeneração do tecido ao redor dos folículos capilares.

Desta forma, aplicar babosa no cabelo é bom e vamos mostrar com mais detalhes quais são os benefícios de adotar essa prática.
Benefícios da babosa no cabelo


1. Redução da caspa

A caspa, chamada também de dermatite seborreica, pode ser causada por um couro cabeludo extremamente ressecado ou devido à presença de micro-organismos nocivos como fungos ou vírus.

Para ambos os casos, a babosa pode ajudar a combater o problema devido às propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias da planta, que quando combinadas ao efeito hidratante resultam em um ótimo remédio natural contra caspas.

2. Efeito reparador

Utilizar a babosa no cabelo pode fortalecer e reparar fios danificados. Devido à presença de vitaminas A, C e E, a babosa contribui para a renovação celular no couro cabeludo, o que promove uma melhor nutrição e fortalecimento dos cabelos.

Além disso, a presença de vitamina B12 e de ácido fólico também ajudam a deixar os cabelos mais fortes e prevenir a queda.

3. Hidratante

Não é por acaso que existem diversos shampoos e condicionares que contêm babosa em sua composição, já que a babosa é um dos melhores hidratantes naturais para os cabelos. Seu alto teor de nutrientes como vitaminas e minerais mantém o cabelo bem nutrido e hidratado.

Além disso, suas propriedades bactericidas e antifúngicas protegem os fios de caspas e as enzimas presentes na planta ajudam na remoção de células mortas e na promoção da regeneração do tecido ao redor dos folículos capilares.

4. Combate à quebra e à queda de cabelo

A babosa contém nutrientes que ajudam a promover o crescimento do cabelo. Assim, pessoas que já sofreram com queda e perda de cabelo podem se beneficiar da aplicação de babosa no cabelo.

Isso é observado porque a babosa é capaz de fortalecer os folículos capilares presentes no couro cabeludo, prevenindo a perda de cabelo já que eles tendem a crescer mais fortes. Além disso, com fios mais bem nutridos, a quebra e as pontas duplas tendem a diminuir drasticamente.

Porém, é necessário detectar a causa para que isso funcione. Se a perda de cabelo estiver associada à fatores genéticos ou hormonais, apenas o uso da babosa não trará bons resultados.

5. Crescimento do cabelo

Como já mencionado no item anterior, a babosa apresenta um alto poder hidratante e nutritivo, que ajuda a deixar o couro cabeludo e os cabelos mais fortes. Isso promove o crescimento saudável e mais rápido do cabelo.

Além disso, a babosa é capaz de melhorar a circulação sanguínea no couro cabeludo, o que permite a chegada de mais nutrientes e oxigênio na região, que é tudo que um cabelo precisa para crescer de forma saudável.

6. Condicionamento

No verão, principalmente, é comum sofrer com os cabelos secos, já que nessa época do ano os fios perdem a umidade mais facilmente. Um dos problemas que vêm acompanhados do cabelo seco é o aumento do frizz. A aplicação de babosa no cabelo pode ajudar a reduzir esse problema ao reter a umidade por mais tempo e manter o cabelo hidratado.

Pessoas com cabelo crespos ou cacheados também podem usar a babosa para aumentar a retenção de umidade, diminuir o frizz e melhorar a definição dos cachos.

7. Redução da oleosidade

A babosa está presente em vários tipos de shampoos porque ela é capaz de limpar profundamente o couro cabeludo quando massageado adequadamente.

Devido à limpeza profunda, a oleosidade diminui e são removidos também resíduos de outros produtos eventualmente presentes no couro cabeludo. Além disso, a babosa limpa sem agredir os fios, o que mantém a integridade do cabelo.


Benefícios da babosa para pele

Também é importante ressaltar alguns benefícios da babosa para pele, tais como:



1. Retardo do processo de envelhecimento

É possível preservar a jovialidade da pele por mais tempo ao aplicar babosa. Devido a suas propriedades hidratantes, ela ajuda a reter a umidade da pele e evitar desgastes. Além disso, os compostos antioxidantes encontrados na babosa auxiliam na proteção contra o estresse oxidativo causado por radicais livres, que podem resultar em marcas na pele como rugas, causando o envelhecimento precoce.

2. Reparação de danos causados por exposição ao sol

Muitas vezes, a exposição excessiva e sem proteção ao sol ou até mesmo uma ida à praia para se bronzear podem resultar em manchas irregulares e indesejadas na pele. É possível reparar esses danos na pele com a aplicação tópica de babosa. Além de remover manchas, a babosa pode ser usada para tratar queimaduras solares devido às suas propriedades analgésicas e efeitos refrescante e anti-inflamatório.

3. Alívio da acne

Além das propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas, a babosa é um agente capaz de limpar profundamente a pele. Isso significa que ao mesmo tempo em que combate micro-organismos causadores da acne e combate a inflamação na pele, ela limpa e nutre a pele, reduzindo a acne e outros possíveis problemas inflamatórios na região.

4. Hidratante para pele seca

Pessoas com pele seca sofrem muito para encontrar um bom hidratante. A babosa pode ser a solução, já que tem um poder hidratante excepcional.


5. Outros benefícios para a pele

O uso de babosa também pode ser benéfico para tratar queimaduras causadas por frio excessivo além de auxiliar no tratamento da psoríase e herpes labial.

onde encontrar

A babosa ou Aloe vera é encontrada nas formas de produtos prontos como gel, óleo, shampoo e condicionador. Também é possível extrair o gel natural diretamente da folha suculenta da planta.

A melhor forma de obter todos os nutrientes é extraindo o gel diretamente da planta. Para isso, corte a ponta da folha de babosa e extraia todo o gel de seu interior.

Como usar

O uso da babosa no cabelo depende do seu objetivo. A seguir, vamos dar algumas dicas de aplicação dependendo do resultado almejado por você.

Couro cabeludo seco e remoção de caspa

Para tratar o couro cabeludo seco, adicione uma colher de chá de gel de babosa no seu shampoo ou use apenas a babosa. Aplique no cabelo e massageie bem o couro cabeludo. Deixe agir por uns 15 minutos e depois enxague normalmente. Não precisa finalizar com um condicionador, já que a própria babosa já é hidratante.

Se quiser, pode misturar a babosa com uma quantidade igual de óleo de coco extra virgem e deixe agir por quanto tempo quiser para aumentar a força e a maciez dos fios.

Hidratação

Basta aplicar o gel de babosa por todo o comprimento do cabelo. Aplique uma camada generosa do gel por todo o cabelo e deixa agir por pelo menos 20 minutos. Se possível, use uma touca térmica ou envolva uma toalha úmida nos cabelos para potencializar os efeitos.

– Limpeza profunda e alívio de coceiras

Se esse é o seu objetivo, massageie muito bem a babosa na forma líquida ou em gel sobre o couro cabeludo antes de lavar normalmente. Evite o uso de cremes e condicionadores pesados após a limpeza.
##Finalizador de penteados
Algumas pessoas usam o gel da babosa no cabelo para finalizar penteados ou deixar os cachos bem definidos. Basta aplicar manualmente uma pequena quantidade do gel nos fios e eles ficarão firmes por mais tempo.


Outros modos de usar

Potencialize os efeitos misturando a babosa com óleos essenciais. É possível usar a babosa em combinação com:

Óleo de mamona para promover o crescimento mais rápido do cabelo e reduzir a queda;
Óleo de coco para obter um efeito condicionador incrível;
Leite de coco para hidratar e nutrir os fios profundamente;
Azeite para fortalecer os fios e promover o crescimento saudável do cabelo.

Dicas finais

A babosa não costuma apresentar efeitos colaterais. Porém, é importante fazer um teste em uma pequena porção do cabelo ou da pele para verificar se você é alérgica ou sensível aos componentes da planta.

Se nenhuma reação alérgica for observada, use e abuse dos efeitos benéficos da babosa e mantenha seus cabelos lindos e bem nutridos.


Babosa no Cabelo é Bom? Benefícios e Como Usar Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/babosa-no-cabelo-e-bom-beneficios-e-como-usar/#Ld0xIFGKCBPyGyPB.99








































Manter uma pele lisa e sem pelos é o objetivo de muitas mulheres e homens, mas a depilação pode ser agressiva para a pele e também dolorosa, dependendo do método realizado – sem contar que após alguns dias os pelos já estão de volta, sendo necessária outra intervenção.

Por esse e outros motivos, a depilação a laser tem conquistado adeptos, que buscam o tratamento como uma maneira de se livrar permanentemente dos pelos de qualquer região sem tantas dores e irritações que os métodos tradicionais costumam provocar.

é um dos procedimentos mais procurados nos consultórios e clínicas especializados. A depilação a laser envolve feixes de luz altamente concentrados nos folículos pilosos e o pigmento nos folículos absorve a luz, o que destrói o pelo. Cada pulso do laser leva uma fração de segundo e pode tratar muitos pelos ao mesmo tempo.


Pequenas áreas podem ser tratadas em menos de um minuto e regiões maiores, como as costas ou as pernas, podem levar até uma hora. Está interessado? Então continue lendo e saiba tudo sobre depilação a laser.

O que é depilação a laser?

A depilação a laser é uma forma não invasiva de reduzir ou remover pelos indesejados. A terapia a laser usa um equipamento que emite raios laser de alta temperatura como uma forma leve de radiação. Durante o processo, os raios laser aquecem e danificam os folículos pilosos.

Os folículos capilares estão localizados logo abaixo da pele e são responsáveis ​​por produzir novos fios de cabelo. Se os folículos forem destruídos, a produção de cabelos será desativada temporariamente.

A depilação a laser é segura?

O procedimento é considerado seguro quando realizado por profissionais capacitados e em um local com o equipamento adequado.


Quais os tipos de lasers mais utilizados?

Os tipos de laser mais utilizados para este tipo de tratamento são o Laser Rubi, que funciona melhor para peles muito pálidas; YAG Laser, que é um dos lasers mais comuns utilizados e é usado para tratar pessoas de pele mais escura; e IPL, que é o laser mais utilizado na técnica de remoção de pelos e mais eficaz para o tom de pele do tipo pálido a médio.


A radiação está envolvida no procedimento?

Não está. Laser significa “amplificação de luz por emissão estimulada de radiação”, mas não é como um raio-X. O tratamento simplesmente usa luz e calor.


Quais partes do corpo podem ser tratadas?

Quase todas as áreas do corpo podem ser tratadas, porém as áreas mais procuradas para tratamento são as pernas, virilha (linha do biquíni), braços, costas, peito e rosto.

Para quais partes do corpo a depilação a laser não é recomendada?

Os melhores resultados são percebidos em pelos com pigmento. Pelos loiros e grisalhos costumam ser mais difíceis de tratar. Isso acontece porque o laser tem como alvo o pigmento no folículo capilar, então, quando o pelo é claro torna-se mais difícil de ser detectado pelo laser e efetivamente desabilitar o folículo piloso.
Outra questão é a cor da pele: quanto mais escura for, mais difícil será distinguir entre a cor da pele e o pigmento nos folículos.

A depilação a laser é permanente?

A proposta da depilação a laser é que ela reduza permanentemente a quantidade de crescimento de pelos. Algumas áreas do corpo podem ter resultados de remoção permanente do pelo, mas outras áreas podem precisar de manutenção periódica. A boa notícia é que a manutenção já trabalha uma região onde o crescimento do pelo já está reduzido, o que significa que menos sessões são necessárias.

Como devo me preparar para uma sessão de depilação a laser?

O pré-requisito para a primeira sessão de tratamento é estar com a região livre de depilação por aproximadamente três semanas. Outro ponto importante é evitar o sol o máximo possível antes do procedimento, pois a luz ultravioleta estimula os melanócitos, que criam mais melanina na pele. Isso torna mais difícil para o técnico em laser distinguir entre a pele e os folículos, o que também torna o tratamento mais desafiador.
Além disso, para obter melhores resultados, você deve certificar-se de que está aplicando protetor solar ao longo dos tratamentos para evitar qualquer hipersensibilidade à sua pele.

Algum equipamento de segurança será utilizado?

Dependendo do laser ou da fonte de luz usada, o paciente e o profissional precisarão usar uma proteção ocular apropriada. Também pode ser necessário proteger as camadas externas da pele com um gel frio ou um dispositivo especial de resfriamento. Isso ajudará a luz do laser a penetrar na pele. 

Quanto tempo dura uma sessão?

O tempo dependerá do tamanho da área que será tratada. Por exemplo, um buço pode levar menos de 30 segundos, o queixo ou axilas podem levar apenas 20 minutos, já uma área maior, como a perna, pode levar em torno de 60 a 90 minutos para ser tratada.


A depilação a laser causa dor?

Durante a realização do procedimento, um desconforto como uma pequena pressão pode ser sentido. Ele costuma durar apenas alguns segundos e geralmente para quando finaliza. Isso pode acontecer porque há nervos ligados aos folículos pilosos. Quando o procedimento estiver concluído, bolsas de gelo, cremes ou loções anti-inflamatórias ou água fria para aliviar qualquer desconforto podem ser aplicados.

Como será a recuperação após uma sessão?

O tratamento costuma ser eficaz e muito seguro. Entretanto, após a sessão de depilação a laser pode aparecer um pouco de inchaço, vermelhidão ou irritação em torno dos folículos pilosos. Isso pode durar alguns dias. A hiperpigmentação, que é o escurecimento da pele, também pode acontecer, mas geralmente desaparece rapidamente.

Quais são os riscos?

O maior risco com os lasers é o dano ocular, por esse motivo o equipamento de segurança é obrigatório. Outros riscos incluem bolhas, cicatrizes e queimaduras que podem descolorir sua pele. Se a pele estiver queimada ou com bolhas, pode significar que o tipo de laser está errado para o seu tipo de pele. Queimaduras ou bolhas podem surgir, mas são muito incomuns.

Quantas sessões são necessárias para que os resultados apareçam?

O processo só funciona durante o ciclo de crescimento do pelo; por esse motivo, ele é feito várias vezes. Algumas pessoas já percebem ótimos resultados após três sessões, mas outras não. Assim como o tempo, o número de sessões necessárias dependerá da área que será tratada.

Embora não seja uma regra, pois as exigências são individuais, as pernas e a virilha precisam de aproximadamente 6 sessões. Outras áreas podem exigir 8 sessões, que são feitas com um intervalo para efetivamente reduzir o crescimento do pelo.

Outro fator está relacionado à cor da pele, pois a pele com tom mais escuro pode precisar de mais sessões devido à maior dificuldade de distinguir entre a cor da pele e o pigmento nos folículos. Se a pele é clara e os pelos escuros, os bons resultados já podem ser notados após apenas alguns tratamentos.

Como devo cuidar da pele após o tratamento?

Para obter os melhores resultados é essencial evitar a luz solar direta, não realizar sessões de bronzeamento artificial, usar protetor solar todos os dias e aplicar uma compressa fria e hidratante na área até que a vermelhidão e o desconforto desapareçam totalmente.


Quais são as vantagens de realizar a depilação a laser?

A maior vantagem da depilação a laser é evitar o crescimento de pelos, pois ele levará muito tempo para crescer se comparado às técnicas tradicionais. O tratamento a laser possui resultados de longa duração e, em alguns casos, até permanentes.

E quais as desvantagens?

Uma desvantagem é que ele pode não oferecer resultados satisfatórios para pelos ruivos, loiros e grisalhos e também para pessoas com pele escura. Outro ponto é que a depilação a laser remove o folículo piloso que está em uma fase de crescimento ativo, mas não impede o crescimento de novos folículos pilosos. Por isso, não é um tratamento permanente de remoção de pelos e é possível algum crescimento.

Qual é o custo?

O custo do tratamento de depilação a laser depende de vários fatores. Por exemplo, a área de tratamento, pois áreas maiores do corpo são mais caras do que as pequenas. O número de sessões também pode interferir no custo, por esse motivo muitas clínicas que realizam o procedimento já oferecem um pacote fechado. Por fim, a região onde a clínica está localizada e a capacitação do profissional também são fatores que variam o custo do procedimento.

Geralmente, a média de uma sessão para depilar a virilha fica em torno de 210 reias e uma sessão para a axila custa em média 100 reais. O valor médio para a perna inteira é de 380 reais.

Atualmente, muitas clínicas oferecem pacotes promocionais, alguns inclusive em sites de compras coletivas. Então, não se esqueça de que a depilação a laser deve ser realizada por um profissional capacitado, que tenha sido treinado especificamente para usar o laser de maneira segura e eficaz, para que os riscos de efeitos colaterais prejudiciais sejam bastante reduzidos.Antes de fechar, faça uma avaliação para entender como será o tratamento para o seu caso e aproveite para tirar todas as suas dúvidas sobre a depilação a laser.

Tudo Sobre Depilação a Laser – Principais Dúvidas Respondidas Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/tudo-sobre-depilacao-a-laser-principais-duvidas-

























Usar o açúcar na pele como um esfoliante é uma técnica bem conhecida e que costuma trazer bons resultados como limpeza profunda e redução da oleosidade. Mas será que também é bom aplicar açúcar no cabelo ou isso faz mal? Para que serve essa nova tendência?

Abaixo, vamos discutir se usar açúcar no cabelo é bom ou faz mal e tirar todas suas dúvidas sobre esse assunto polêmico.

 Açúcar no cabelo

Existe uma certa polêmica sobre o uso de açúcar no cabelo. Alguns afirmam que misturar o açúcar no shampoo e aplicá-lo no cabelo pode resultar em cabelos bonitos, brilhantes e hidratados, além de estimular o crescimento saudável dos fios. Outros defendem que o açúcar no cabelo não traz benefícios para a saúde dos fios e que isso pode até prejudicar o cabelo. Qual é a verdade? 

Para que serve 

Adeptos do uso de açúcar no cabelo afirmam que o alimento é capaz de promover os seguintes benefícios:

Hidratação;
Redução das pontas duplas;
Limpeza profunda;
Alinhamento dos fios;
Selagem das cutículas;
Ação esfoliante;

Crescimento do cabelo.
Porém, nem todos concordam com os benefícios que o açúcar proporciona aos fios de cabelo e ao couro cabeludo e é preciso ter em mente que a principal ação do açúcar é a esfoliação e a limpeza profunda, já que os outros benefícios são apenas consequências.
Com um couro cabeludo limpo e esfoliado, os produtos usados no cabelo vão penetrar mais profundamente no couro cabeludo, resultando em melhor hidratação e fios mais bonitos e saudáveis.

Açúcar no cabelo é bom ou faz mal? 

De acordo com Hiro Miyoshi, cabeleireiro e dono do salão Hiro Miyoshi Hair & Beauty em Mayfair, Londres, é importante cuidar da limpeza do couro cabeludo além de se preocupar apenas com os fios.

Um couro cabeludo não cuidado pode impedir o crescimento de novos fios saudáveis e causar irritação.

Especialistas na área de cabelos indicam que combinar o açúcar com um shampoo de sua preferência e usar a mistura para lavar o cabelo e massagear o couro cabeludo algumas vezes na semana pode ajudar a esfoliar e limpar profundamente o couro cabeludo. Essa técnica ajuda remover as células mortas e o acúmulo de resíduos provenientes de produtos aplicados nas madeixas ao longo do tempo.

Além disso, isso diminui a oleosidade na raiz, permite que o condicionador usado posteriormente penetre mais facilmente no cabelo e ajuda a reter a umidade natural dos cabelos.

De acordo com a dermatologista Francesca Fusco, o açúcar pode transformar o seu shampoo em um esfoliante caseiro simples e barato. Ao aplicar a mistura no cabelo antes de usar um condicionador ou creme hidratante, a ausência de células mortas e outros resíduos no couro cabeludo vai permitir uma melhor eficácia desses produtos usados a seguir, promovendo uma hidratação mais profunda.

Além disso, Francesca Fusco afirma que o açúcar é uma ótima opção porque ele é muito solúvel em água, fazendo com que não sobre nenhum resíduo de açúcar no couro cabeludo que será totalmente removido na lavagem.

No entanto, nem todos especialistas concordam com esse poder do açúcar. Joshua Goldsworthy, por exemplo, é uma dos que não acreditam nos benefícios do açúcar. Ele é diretor da empresa Goldsworthy, especializada em beleza no Reino Unido, e acredita que o açúcar acrescenta rigidez no cabelo e é abrasivo demais, podendo prejudicar a saúde dos fios. Porém, ele não mostra argumentos que provem que o açúcar no cabelo faz mal.

Já a dermatologista americana Julie Russak diz que a esfoliação do couro cabeludo pode ser benéfica para remover camadas de resíduos e células mortas, permitindo que o couro cabeludo respire e não fique irritado. Ela também ressalta que o açúcar é uma maneira natural de esfoliar o couro cabeludo totalmente válida e afirma que isso não faz mal desde que usado com moderação e com delicadeza para não machucar o couro do cabelo.

Assim, apesar de não haver estudos científicos que comprovem os benefícios ou malefícios da aplicação de açúcar no cabelo, adotar essa prática não faz mal e vale a pena tentar e observar os resultados. Vale ressaltar que nenhuma técnica de esfoliação, seja na pele ou no couro cabeludo, deve ser realizada diariamente. Se você fizer isso todos os dias, com certeza o produto vai danificar os fios e fragilizar o seu couro cabeludo. O ideal é usar o açúcar no cabelo apenas 1 ou 2 vezes por semana e dificilmente ocorrerão problemas.

Como usar

Existem várias formas de usar o açúcar no cabelo, dependendo do seu objetivo. Vamos mostrar as principais maneiras de aplicar para obter uma esfoliação completa e promover uma melhor hidratação dos fios gastando muito pouco.

1. Açúcar para esfoliar o couro cabeludo

Como você já leu acima, misturar o açúcar com o seu shampoo de costume é ótimo para lavar os fios e promover uma boa esfoliação no couro cabeludo.

Para isso, adicione uma colher de açúcar granulado na quantidade de shampoo que você pretende aplicar. Pode ser o açúcar cristal, o mascavo ou o demerara, o importante é que o açúcar escolhido tenha grãos mais grossos para esfoliar.

Lave o cabelo normalmente e capriche em uma massagem suave no couro cabeludo usando as pontas dos dedos. Isso vai deixar o seu couro cabeludo limpo, pronto para absorver melhor produtos como condicionadores ou máscaras de hidratação, por exemplo. Além disso, ao massagear bem o couro cabeludo, a circulação sanguínea também melhora, fazendo com que mais nutrientes e oxigênio cheguem ao local e estimulem o crescimento natural do cabelo.

É recomendado usar essa técnica não mais do que 2 vezes por semana para evitar agressões desnecessárias ao couro cabeludo com uma esfoliação constante.


2. Açúcar para hidratar o cabelo 

Como mencionado, o açúcar ajuda a limpar o couro cabeludo e não promove hidratação e selagem das cutículas, por exemplo, diretamente. Para isso, é preciso usar produtos que façam essa função ou combinar o açúcar com outros produtos que promovam também a hidratação e outros benefícios para os cabelos.

Algumas receitas para hidratar o cabelo com açúcar incluem misturas de açúcar com maizena, açúcar com leite e açúcar com azeite.


3.Maisena e açúcar no cabelo

Essa hidratação é feita por muita gente em casa devido à praticidade e ótimo efeito hidratante que promove no cabelo. Além da hidratação, essa receita é capaz de alisar os fios. Existem variações de receitas com açúcar e maisena que envolvem também outros ingredientes. Aqui, vamos mostrar dois exemplos.
A primeira receita é a mais simples e consiste em misturar em um recipiente os seguintes ingredientes:

2 colheres de sopa de maizena;
1 colher de sopa de açúcar cristal, mascavo ou demerara;
1 xícara de água;
2 colheres de sopa de creme hidratante de sua preferência.
Outra receita um pouco mais incrementada envolve também a adição de ingredientes como leite e óleo vegetal. Seguem os ingredientes que devem ser misturados:

1 colher de sopa de maizena;
1 colher de sopa de açúcar cristal, mascavo ou demerara;
1 colher de creme hidratante de sua preferência;
100 mL de leite;
3 gotas de um óleo vegetal como o azeite ou o óleo de coco, por exemplo.
Em ambos os casos, é necessário dissolver a maisena em um pouco de água em fogo baixo até que a mistura engrosse. Em seguida, deixe esfriar e incorpore os demais ingredientes.

De preferência, aplique o creme resultante ainda morno sobre os cabelos limpos e levemente úmidos espalhando bem mecha por mecha, enrole os cabelos em uma toalha úmida ou touca térmica e deixe agir por 20 minutos a 1 hora dependendo do efeito hidratante desejado. Quanto mais tempo deixar, melhor. Depois disso, enxague os cabelos com água fria e pronto.

Leite e açúcar no cabelo

O leite é muito benéfico para os cabelos devido ao seu teor de nutrientes com diversas vitaminas e minerais como a vitamina A, vitamina B12, vitamina D, potássio, cálcio e fósforo, além de proteínas benéficas para a saúde capilar. O leite integral é ainda mais benéfico, já que suas gorduras ajudam a hidratar e condicionar os fios, os deixando mais lisos.

Uma ótima receita para hidratar a alisar os fios consiste em misturar os seguintes ingredientes:

1 colher de sopa de açúcar mascavo, cristal ou demerara;
4 colheres de sopa de leite;
1 colher de sopa de creme hidratante.
Outra receita um pouco mais incrementada envolve também a adição de ingredientes como leite e óleo vegetal. Seguem os ingredientes que devem ser misturados:

1 colher de sopa de maizena;
1 colher de sopa de açúcar cristal, mascavo ou demerara;
1 colher de creme hidratante de sua preferência;
100 mL de leite;
3 gotas de um óleo vegetal como o azeite ou o óleo de coco, por exemplo.

Em ambos os casos, é necessário dissolver a maisena em um pouco de água em fogo baixo até que a mistura engrosse. Em seguida, deixe esfriar e incorpore os demais ingredientes.

De preferência, aplique o creme resultante ainda morno sobre os cabelos limpos e levemente úmidos espalhando bem mecha por mecha, enrole os cabelos em uma toalha úmida ou touca térmica e deixe agir por 20 minutos a 1 hora dependendo do efeito hidratante desejado. Quanto mais tempo deixar, melhor. Depois disso, enxague os cabelos com água fria e pronto.

Leite e açúcar no cabelo

O leite é muito benéfico para os cabelos devido ao seu teor de nutrientes com diversas vitaminas e minerais como a vitamina A, vitamina B12, vitamina D, potássio, cálcio e fósforo, além de proteínas benéficas para a saúde capilar. O leite integral é ainda mais benéfico, já que suas gorduras ajudam a hidratar e condicionar os fios, os deixando mais lisos.

Uma receita muito legal para fazer e usar nos cabelos inclui os seguintes ingredientes:

1 colher de chá de azeite de oliva extra virgem;
1 colher de sopa de açúcar mascavo, demerara ou cristal;
2 colheres de sopa de creme hidratante.

Misture bem todos os ingredientes em um recipiente. Depois disso, aplique a mistura nos fios úmidos previamente limpos em todas as mechas e deixe agir por pelo menos 20 minutos. Para potencializar os efeitos, envolva o cabelo em uma toalha úmida ou em uma touca térmica.

Por fim, lave os cabelos e passe um pouco de shampoo para ajudar a remover os resíduos da mistura. O uso de condicionador é opcional.

Considerações


O açúcar sozinho é usado como uma agente esfoliante. Assim como nossa pele, o couro cabeludo também precisa de uma limpeza profunda periodicamente e o açúcar é uma ótima alternativa natural para isso.

Como hidratante, ele precisa ser misturado com outros ingredientes que promovem tal efeito como a maisena, o leite, óleos vegetais ou cremes hidratantes. Independentemente da sua escolha, aplicar açúcar no cabelo pode ser muito benéfico para melhorar o aspecto do seu cabelo, deixando os fios mais limpos, bonitos e saudáveis.




Açúcar no Cabelo é Bom ou Faz Mal? Para Que Serve? Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/acucar-no-cabelo-e-bom-ou-faz-mal-para-que-































Tecnologia do Blogger.